Introdução

O pólo de reabilitação traumato-ortopédica encarrega-se do tratamento das patologias que tocam o aparelho locomotor e a coluna. A reeducação locomotora assegura o tratamento dos pacientes com patologias e afeições que afetam essencialmente os membros inferiores bem como os membros superiores, com um programa de tratamento específico dedicado à patologia da mão. As causas destas patologias são frequentemente traumáticas, degenerativas ou de mal formações. Uma equipa multi e interdisciplinar, coordenada por médicos especialistas em Medicina Física e de Reabilitação garante um programa de tratamento precoce em fase pós-cirurgica imediata ou após outra forma de tratamento hospitalar. Articula-se em redor de um programa individualizado em regime hospitalar ou ambulatório. Avalições são realizadas de maneira repetida para poder adaptar os tratamentos com o propósito de uma recuperação optimal. O objetivo é de favorecer um regresso rápido para a vida familiar, bem como para a reintegração social e profissional. Um sector especializado em aparelhamento adapta próteses e ortóteses necessárias para recuperar uma incapacidade ou para limitar uma deficiência.

A reabilitação da coluna assegura o tratamento das patologias e condições que afetam a coluna vertebral de etiologia degenerativo, traumático e de mal formações.

O paciente é tratado na sequência de uma intervenção cirúrgica ou de um outro tratamento hospitalar. O programa de tratamento será ou individual ou em coletivo no grupo de Reabilitação Dinâmica da Coluna (Rehareck). Os programas de reabilitação incluem um programa de tratamento da dor e propõem, entre outros, um apoio físico-social e a intervenção de uma escola das costas orientada para a reintegração profissional. Os tratamentos são propostos precocemente para evitar a instalação de uma deficiência duradoura e para limitar o risco de evolução para uma incapacidade de trabalho definitiva.

Medicina física e de reabilitação

  • Dr Anja DEKANT
  • Dr Jean-Marie DOUMONT
  • Dr Joachim RENOUPREZ
  • Samuel SALAZAR
  • Dr Jean-Pierre SAVY
  • Dr Jean-Paul SCHMIZ

No pólo reabilitação traumato-ortopédica, o Rehazenter garante o tratamento das patologias que afetam o aparelho locomotor, bem como a coluna.

As principais indicações são:

  • Fraturas esqueléticas dos membros superiores e inferiores
  • Cirurgia corretiva tendinosa da mão
  • Algodistrofia
  • Amputações traumáticas
  • Amputações de origem vascular
  • Malformações congénitas dos membros
  • Doença vascular periférica dos membros
  • Artrose articular degenerativa
  • Cirurgia protética da anca e dos joelhos
  • Tendinites
  • Fibromialgia
  • Fraqueza muscular após internamento prolongado em reanimação
  • Úlceras de decúbito
  • Queimaduras cutâneas
  • Linfedema após mastectomia
  • Síndrome pós-flebite
  • Artrose da coluna vertebral
  • Hérnia discal
  • Fraturas vertebrais
  • Doenças reumáticas inflamatórias
  • Canal lombar estreito adquirido ou degenerativo
  • Síndrome da dor crónica
  • Escoliose
  • Síndrome de descondicionamento físico

Os meios de diagnóstico no pólo de reabilitação traumato-ortopédica são os seguintes:

  • Radiologia convencional
  • Ecografia
  • Laboratório de análises biológicas
  • Electrocardiograma
  • Electrofisiologia: EMG, VCN, PES, PEM
  • Ecoscan vesical
  • Oximetria percutânea
  • Avalição urodinâmica
  • Avaliação baropodoscopia
  • Análise da marcha
  • Avaliação isocinética
  • Teste de esforço cardiovascular submáximo
  • Avalição da força e da amplitude da coluna
  • Avaliação funcional profissional ESAP
  • Aptidão à condução de automóvel CLECAR

Os tratamentos seguintes são propostos no pólo de reablitação traumato-ortopédica:

Consultas médicas especializadas com elaboração de planos de reabilitação
Cuidados médicos durante a hospitalização ou na policlínica em fase ambulatória
Tratamento da dor
Tratamentos físicos:

  • Hidroterapia
  • Fisioterapia
  • Massagem
  • Ondas de choque radiais
  • Terapia manual

Reabilitação funcional:

  • Fisioterapia
  • Terapia Ocupacional
  • Reabilitação Psicomotora
  • Educação Física
  • Terapia da fala
  • Reeducação do períneo e dos esfíncteres

Escola das costas

Programa de reabilitação dinâmica da coluna RDR
Aparelhamento por prótese e ortótese
Psicoterapia:

  • Relaxamento

Reabilitação cardiovascular:

  • Atividade de ginástica adaptada em piscina,
  • Atividade de ginástica adaptada no ginásio.

Percurso de marcha
Reabilitação para as atividades da vida diária para aumentar a autonomia
Simulação num atelier profissional multifuncional
Orientação profissional
Desporto adaptado para pessoas com deficiência

Serviço de hospitalização

O departamento dos cuidados de saúde é composto pela unidade de hospitalização. Esta é composta por três unidades, três apartamentos terapêuticos e as policlínicas onde está incluida a policlínica que é responsável pelo tratamento de pacientes ambulatórios. Além, disso fazem parte a unidade de nutrição e dietética e da higiene hospitalar.

Esta unidade é especializada num programa de tratamento das patologias traumatológicas e ortopédicas tais como: politraumatismos, próteses e amputações, etc.

É composta por:

  • 12 quartos duplos
  • 6 quartos individuais

As incapacidades funcionais e cognitivas podem prejudicar a autonomia das atividades da vida diária (vestir, toilette, alimentação), as transferências (levantar, deitar, transferência da cama para a cadeira)e as deslocações. Os apartamentos terapêuticos representam um meio de transição, de avaliação e de progressão entre o nível anterior de dependência e o regresso ao domicílio.

Os apartamentos terapêuticos representam um sitio privilegiado onde o projeto do paciente pode ser adaptado, reavaliado ou confirmado na presença da equipa de cuidados de saúde. Além disso, o paciente beneficia da totalidade da plataforma técnica do Centro.

As equipas destas duas unidades e os apartamentos terapêuticos são compostas de enfermeiros e auxiliares médicos especializados em reablitação físca e de reabilitação. Trabalham de forma multi e interdisciplinar com os outros terapeutas e executam os cuidados como:

  • cuidados da vida diária: higiene, vestir, alimentação, mobilização, eliminação, etc.
  • cuidados técnicos: pensos, sondagens, perfusões, controlo, gestão medicamentosa, gestão dos isolamentos, cobranças biológicas, etc.
  • cuidados preventivos das complicações ligadas às patologias
  • avaliação e acompanhamento da dor
  • realização dos ensinos adequados ao paciente e/ou do ambiente
  • transmissão entre o paciente, o ambiente, as redes de cuidados à domicílio, etc.
  • preparação ao regresso ao domicílio ou outro lugar de vida

A abordagem dos cuidados em reabilitação comporta a avaliação das necessidades e capacidades do paciente, a identificação dos meios a pôr em obra para permitir um ganho máximo de autonomia, bem como o acompanhamento de cuidados com o propósito da atingir os objectivos personalizados do paciente e do seu ambiente, deduzidos dos objectivos médicos.

Desde 2016, uma enfermeira de acompanhamento acolhe e segue o paciente hospitalizado de acordo com as suas necessidades ao longo de toda a sua estadia. Intervém igualmente para a preparação da sua saída em colaboração com os diferentes profissionais de saúde.

Esta função, permite pôr à disposição do paciente e dos seus familiares um profissional de saúde de referência que está em colaboração constante com as unidades de cuidados.

  • Uma animadora dos pacientes propõe actividades ocupacionais para alegrar o dia dos pacientes.
  • Um cabeleireiro é posto a disposição dos pacientes todas as quintas-feiras
  • O serviço de hospitalização dispõe de dois pedicures médicos diplomados; a sua intervenção pode ser pedida por razões estéticas ou médicas
  • Um serviço de lavandaria pode ser requisitado se for necessário.

Os cuidados de saúde da policlínica estão inseridos num programa de tratamento de pacientes ambulatórios que necessitam diferentes tipos de cuidados. Esta equipa é composta de enfermeiros e auxiliares médicos especializados em reabilitação e executam diferentes tipos de cuidados:

  • cuidados de vida diária: higiene e vestir em contexto com a hidroterapia, alimentação, mobilização, eliminação, etc.
  • cuidados técnicos: pensos, sondagens, vigilância dos parâmetros, gestão dos medicamentos, gestão dos isolamentos, análises biológicas, etc.
  • gestão das urgências
  • realização dos ensinos adequados ao paciente e/ou do ambiente
  • transmissão entre o paciente, o ambiente, as redes de cuidados domiciliários, etc.

Especializados no transporte dos pacientes em reablitação, os auxiliares asseguram o transporte interno de pacientes hospitalizados e ambulatórios.

Fisioterapia

A fisioterapia traumato-ortopédica acolhe pacientes que apresentam lesões e deficiências do aparelho locomotor consequentes a um traumatismo ou uma patologia mecânica degenerativa. Graças às técnicas mais avançadas, o nosso serviço oferece um programa de tratamento de alto nível no diagnóstico e no tratamento das patologias do aparelho locomotor.

As missões da fisioterapia traumatológica são:

  • trabalhar os objetivos definidos através das avaliações
  • propor um programa de tratamento baseado na evidência científica mais recente
  • acompanhar de maneira inovadora o paciente ao longo de toda a sua terapia trabalhando com a tecnologia mais recente

Membro inferio

O nosso serviço encarrega-se de todas as patologias que afetam os membros inferiores. O fisioterapeuta acompanha o paciente desde a fase de hospitalização, passando pela fase ambulatória até ao momento da alta, através de um programa adaptado à patologia do paciente. O terapeuta utiliza todos os meios que o Centro tem à sua disposição para oferecer um tratamento de qualidade.

As patologias mais frequentes no nosso Centro são:

  • Prótese de anca
  • Prótese de joelho
  • Politraumatismo
  • Lesões ligamentares: ligamentos cruzados, entorse, etc.
  • todo o tipo de fractura
  • Amputação
  • Queimaduras
  • Algoneurodistrofia dos membros inferiores
  • Lesões musculares

Membro superior

O nosso serviço é composto de terapeutas especializados e formados para tratar a diversidade de patologias dos membros superiores. A originalidade e a especificidade deste serviço é baseado num programa de tratamento quotidiano, em estreita colaboração com a terapia ocupacional. O terapeuta utiliza todos os meios que o Centro tem à sua disposição para oferecer um tratamento de qualidade..

As patologias mais frequentes no nosso Centro são:

  • Traumatismo dos membros superiores
  • Algoneurodistrofias
  • Patologia da coifa dos rotadores
  • Amputação
  • Reumatismo inflamatório
  • Patologia da mão

Coluna

O programa de tratamento da coluna tem um papel importante no nosso Centro porque para além de um programa de tratamento clássico, instalámos um programa de terapia coletiva multi e interdisciplinar que permite uma re-dinamização da coluna:

As patologias mais frequentes no nosso Centro são:

  • Cirurgias da coluna
  • Dores da coluna
  • Deformação da coluna
  • Grande queimado
    • O nível técnico do Rehazenter acolhe os pacientes vítimas de queimaduras graves. Um programa de tratamento especializado e multidisciplinar é garantido respeitando ao mesmo tempo as diferentes fases de cicatrização. Os cuidados efetuados pela nossa equipa permitem numa primeira fase prevenir ao máximo as complicações de cicatrizes (debridamento, hipertrofia, limitação articular, etc.) por várias técnicas específicas(mobilização, posturas, ortótese, massagem, etc.). Seguidamente, o paciente segue um teste de esforço muscular e cardiovascular progressivo a fim de favorecer uma reintegração social e profissional.
  • Disfuncionamentos mandibular ATM
    • Os disfuncionamentos da articulação temporo-mandibular são tratados por uma equipa especializada e formada especificamente. Antes de iniciar o tratamento em si, uma avalição é realizada como orientação do tratamento.
  • Alteração da postura
    • As alterações da postura podem ser consequência de outras patologias. Uma avaliação meticulosa é de extrema importância para poder orientar o plano de tratamento.
  • Alteração vestibular
    • O Centro possui dois aparelhos com elevado nível tecnico e terapeutas especialmente formados neste domínio. Os terapeutas realizam as avaliações e são responsáveis pelo tratamento dos pacientes que sofrem de algum tipo de alteração vestibular.
  • Dor crónica
    • O tratamento desta patologia é frequentemente ignorada e é assegurado por uma equipa multi e interdisciplinar. Os terapeutas que integram esta equipa são formados especificamente no tratamento da dor.
  • Tratamento pediátrico
    • O nosso Centro trata igualmente as patologias pediátricas. Para assegurar um programa de tratamento adequado, esforçamo-nos de realizar um plano de tratamento que permite conciliar a escola e as terapias.
  • Patologia pelvi-perineal
    • [Lien vers le texte pélvi-périnéologie]
  • O nosso Centro dispõe de aparelhos com um alto nível técnico (Multitest, Tergumed, Biodex, Equitest, etc.) a fim de realizar avaliações rigorosas e tratamentos eficazes.
  • Todas as salas de terapia são equipadas a fim de assegurar o melhor programa de tratamento possível com aparelhos electroterapia, bicicletas cicloergométricas, aparelhos Kinetec para o membro superior e o membro inferior, etc.
  • A nossa força principal reside na nossa equipa fundamentada, competente e especializada na maior parte dos domínios que tocam a fisioterapia.

A fisioterapia pélvica dirige-se à pacientes que apresentam:

  • Disfunções vesico-esfincterianas e/ou do ânus e reto de origem neurológica ou traumática.
  • Dores pélvicas
  • Disfunções sexuais

Este tipo de tratamento poderá ser igualmente prescrito em casos pediátricos e é executado por terapeutas espacializados.

Graças a uma consulta médica especializada e uma plataforma que permite a avaliação do esfíncter perineal na sua totalidade, o paciente recebe uma prescrição médica com um tratamento adaptado e coerente à sua disfunção.

A avaliações são baseadas em avaliações estandardizadas e validadas tais como o teste muscular e de sensibilidade do esfíncter perineal

Métodos utilizados:

  • Fortalecimento analítico e global do pavimento pélvico
  • Propriocepção
  • Eletroterapia, biofeedback, etc.
  • Fortalecimento abdominal com técnicas específicas: técnica Abdo MG, exercícios abdominais hipopressivos (De Gasquet, Caufriez, etc.)

Reabilitação Psicomotora

A especificidade da reabilitação psicomotora consiste na análise do plano corporal e psicológico do individuo. Este tipo de especialização permite analisar o paciente na sua globalidade, estando à escuta das suas capacidades e incapacidades e presentando uma atenção especial às suas manifestações psico-corporais.

O exame psicomotor, realizado realizado através de provas adaptadas à idade e a patologia do paciente, permite:

  • avaliar as suas dificuldades e as suas capacidades, re-avaliando as mesmas ao longo da sua evolução.
  • avaliar a qualidade dos modos de relação do paciente com o seu meio ambiente.

A avaliação psicomotora aborda o conjunto de atividades e expressões corporais, tais como:

  • Coordenação
  • Equilíbrio
  • Tónus
  • Consciência corporal: o esquema corporal
  • Estruturação no espaço e no tempo: a lateralidade
  • Gesto simbólico
  • Relação do corpo com o seu meio ambiente e situações inabituais

O psicomotricionista intervém nas diferentes manifestações da patologia em domínios como: perinatal, pós-natal, neurológico, sensorial, psicossomático, geriatria, psiquiátrico.

Estas manifestações podem ser:

  • Alterações motoras e da perceção
  • Alterações práxicas
  • Alterações tónicas e emocionais
  • Alterações na consciencialização corporal, do esquema corporal e da imagem corporal
  • Alterações comportamentais
  • Alterações da personalidade

A reabilitação é feita através de técnicas de relaxamento, de ensino gestual e de expressão corporal. Além disso, utiliza atividades rítmicas, jogos, exercícios de equilíbrio e de coordenação; usando diferentes meios como por exemplo a água.

Desporto adaptado e hidroterapia

A terapia de desporto adaptado e a hidroterapia (A.P.A) necessitam de prescrição médica e têm um papel fundamental no tratamento dos pacientes no Rehazenter.

Os pacientes são assistidos por seis terapeutas de desporto adaptado e dois nadadores salvadores. A equipa colabora com os outros serviços (fisioterapia, terapia ocupacional, equipa médica, etc.).

O objetivo é de integrar a atividade física no tratamento do paciente. O tratamento em desporto adaptado (A.P.A) baseia-se numa avaliação prévia e pode ser individual ou em grupo. Consiste na adaptação de atividades físicas a todas as patologias respeitando os objetivos pessoais e terapêuticas do paciente (através de adaptações didáticas e logísticas, modificações das regras) e na descentralização do foco da lesão. A particularidade da hidroterapia é de iniciar precocemente uma mobilização ativa e em segurança.

As atividades físicas propostas vão permitir ao paciente de se afirmar e de se desenvolver. As atividades físicas propostas permitem o desenvolvimento de relações sociais e de entreajuda. Desperta aos pacientes um interesse novo para uma vida mais ativa e em alguns casos para um deporto de competição.

O serviço de desporto adaptado e de hidroterapia participa na orientação de estagiários em atividade física adaptada de diferentes instituições universitárias internacionais.

Além disso, participam na colaboração dos grupos:

  • Prevenção de quedas
  • AMR (Aktivitätstest zur Mobilität im Rollstuhl) para os pacientes em cadeira de rodas
  • Rehareck (treino cardiovascular, fortalecimento muscular e hidroterapia).

Terapia ocupacional

Au Rehazenter, les psychologues dédient leurs missions à l’amélioration de la qualité de vie des patients. En effet, qu’il s’agisse de personnes présentant des atteintes cérébrales ou de l’appareil locomoteur, leur capacité à faire face aux activités de la vie journalière et de participer à la société sont mises à mal, et ce, avec une souffrance importante.

Le rôle du psychologue en réhabilitation rééducation s’axe sur plusieurs dimensions :

  • Le diagnostic : en permettant une compréhension de l’ampleur des difficultés émotionnelles, cognitives et comportementales. Ceci en utilisant une évaluation orientée, faisant l’état des lieux des difficultés mais aussi des ressources disponibles afin d’élaborer un projet de rééducation.
  • L’élaboration du projet de rééducation se fait en partenariat avec l’équipe pluri et interdisciplinaire sous la responsabilité du médecin. Il sera révisé régulièrement en fonction de l’évolution du patient et peut avoir plusieurs objectifs différents : la récupération de la fonction atteinte ou manquante, la compensation de ce qui fait défaut en fonction des compétences préservées, l’aménagement de l’environnement pour suppléer et faciliter la vie avec les déficits.
  • Le travail de réhabilitation des habiletés cognitives, comportementales et affectives du patient présentant des lésions cérébrales.
  • La prise en charge de la douleur, avec l’apprentissage de techniques comme l’autohypnose par exemple.
  • L’accompagnement des proches et familles dans l’appréhension de la différence et du handicap.
  • La prise de conscience des déficits et des moyens d’adaptation psychologique pour vivre avec le(s) changement(s).

Le rôle principal du psychologue est donc d’accompagner la personne dans ces changements tout en incluant le contexte de la rééducation, en s’articulant autour des avis des thérapeutes et des équipes soignantes, des capacités émotionnelles et des ressources du patient ainsi que son projet de vie. Aussi, le lien entre le Rehazenter et l’extérieur de la structure hospitalière est une mission primordiale qui vise une réintégration familiale, sociale puis professionnelle ou scolaire de qualité (Case Management).

Au Rehazenter, les psychologues sont tous spécialisés en neuropsychologie et sont également formés et reconnus en psychothérapie. Selon la personne et les besoins, un suivi psychothérapeutique de différent type peut être proposé aux patients (Thérapie systémique, brève, hypnothérapie, EMDR/ Traumathérapie, etc.).

Au-delà de ces missions globales, les psychologues s’orientent en fonction de leurs intérêts dans des équipes de compétences spécifiques. Certains sont spécialisés dans la prise en charge de la douleur, des dysfonctions sexuelles, les Vertiges et Instabilités (LIEN VERS SITE GROUPE), les troubles du comportement, ou encore dans le suivi des enfants, avec l’équipe des enseignants (LIEN SITE ECOLE DE L’ENFANT MALADE), et l’accompagnement des familles.

Le service est également en contact avec des partenaires externes notamment pour des bilans spécifiques, tels que l’évaluation de l’aptitude à la conduite automobile (LIEN CLECAR), la réinsertion professionnelle (LIEN PROJET COSP-HR), des bilans cognitifs motivés (aide au diagnostic, avis de prise en charge, etc.).

L’équipe des psychologues au Rehazenter reste également engagée dans l’encadrement des stagiaires, l’implication dans des programmes de recherches ou encore dans l’enseignement (LIEN CORDE).

Les thérapies d’activités physiques adaptées (A.P.A.) et hydrothérapie font partie intégrantes de la prise en charge du patient au Rehazenter.

Une prescription médicale justifie toujours cette prise en charge. Les patients sont encadrés par six thérapeutes en Activités Physiques Adaptées, ainsi que deux maîtres-nageurs. L’équipe au complet travaille en étroite collaboration avec les autres services (kinésithérapie, ergothérapie, médical, etc.).

L’objectif de ces thérapies est d’intégrer les activités physiques dans le traitement fonctionnel du patient. La prise en charge en A.P.A. peut être collective ou individuelle, basé sur un bilan individuel. Elle consiste à adapter toutes activités physiques aux différentes pathologies des patients et selon leurs objectifs personnels et thérapeutiques (adaptations didactiques, logistiques, modifications des règlementations, etc.). Le but de cette prise en charge est également une décentralisation du focus sur la lésion, en l’intégrant au niveau corporel par des activités plus globales. La particularité des thérapies en piscine est de pouvoir débuter précocement une mobilisation active et sécurisée.

Les activités physiques proposées vont permettre au patient de s’affirmer et de s’épanouir. Ces activités de groupe lui permettront de retrouver ou développer une certaine socialisation par les diverses interactions avec autrui et, ainsi, certaines notions d’entre-aide et de cohésion. Cette prise en charge permettra à certains patients de leur donner ou redonner un intérêt pour une vie active. Pour d’autres, l’intérêt sera dans la reprise d’un sport de compétition quel que soit le niveau du patient.

L’unité Thérapie gymniques et Hydrothérapie participe à l’encadrement des stagiaires en activités physiques adaptées de différentes universités internationales.

En collaboration avec d’autres métiers nous participons aux groupes

  • prévention des chutes,
  • AMR (Aktivitätstest zur Mobilität im Rollstuhl) pour les patients au fauteuil roulant,
  • Rehareck (entraînement cardio-vasulaire, renforcement fonctionnelle et hydrothérapie).

Ergothérapie

La personne peut éprouver des difficultés à réaliser la majorité de ses activités de la vie quotidienne à savoir: l’habillage, l’alimentation, l’hygiène personnelle, les transferts, les déplacements, l’entretien de la maison, les loisirs, le travail, la conduite automobile, etc., domaines d’action privilégiés de l’ergothérapeute.

L’objectif de l’ergothérapie est de maintenir, restaurer et permettre les activités humaines de manière sécurisée, autonome et efficace. Elle prévient, réduit ou supprime les situations de handicap en tenant compte des habitudes de vie des personnes et de leur environnement.

Au Rehazenter, l’ergothérapeute intervient dans la rééducation plus précisément « Le faire mieux » et dans la réadaptation « Le faire avec » avec la mise en place de moyens de compensation, le tout sous prescription médicale.

La prise en charge du patient se fait en équipe pluri et interdisciplinaire dont l’objectif majeur est de mettre le patient au centre du processus de revalidation. Il reste l’acteur principal de sa thérapie pour reconstruire un projet de vie, accompagné tout au long de sa prise en charge par l’ensemble des intervenants médicaux et paramédicaux.

L’unité de rééducation neurologique de l’ergothérapie est répartie sur deux salles.

Un des atouts du Rehazenter reste la grande diversité des moyens mis à disposition pour les patients.

O Serviço de reabilitação de Terapia Ocupacional do Rehazenter permite uma reabilitação analítica após uma avaliação inicial. Este trabalho é desenvolvido à volta de atividades propostas e de diferentes exigências motoras, sensoriais, psicológicas e socio-culturais. O serviço possui meios complementares específicos para acompanhar qualitativamente o paciente no seu percurso.

Ortótese

O serviço de terapia ocupacional possui um atelier de ortóteses que está situado no departamento de reabilitação traumato-ortopédica do membro superior. A conceção de ortóteses dinâmicas e estáticas é realizada por terapeutas ocupacionais especializados. Estas ortóteses são destinadas a pacientes em regime ambulatório ou em internamento.

Os objetivos terapêuticos das ortóteses são:

  • Efeito analgésico
  • Imobilizar ou repousar uma ou várias articulações
  • Recuperar ou prevenir défices de amplitudes articulares
  • Corrigir ou reduzir uma deformação
  • Favorecer a cicatrização cutânea
  • Assistir funcionalmente
  • Mobilizar precocemente e em segurança

O paciente recebe em conjunto com a sua ortótese uma ficha de informação sobre os objetivos e conselhos de uso e de manutenção da mesma. A função do serviço de terapia ocupacional é igualmente de garantir um acompanhamento e reparação das ortóteses concebidas.

Ajudas técnicas

Dependendo da gravidade da afeção motora, o individuo pode estar sujeito a uma cadeira de rodas. O terapeuta ocupacional determina as características necessárias da cadeira de rodas e faz o ensino sobre a sua utilização, o deslocamento e a transferência. Outras ajudas técnicas que podem facilitar certas atividades são: sistemas de controlo do meio ambiente ou ajudas técnicas para vestir, preparação de refeições ou recreativos.

Reeducação virtua

Atualmente, os instrumentos virtuais adoptam um papel cada vez mais importante em terapias de reabilitação. No Centro de Reabilitação Funcional utilizamos instrumentos como o Arméo para a reabilitação do membro superior e o E-link mais direcionando para dia mão e o ante-braço. Outros meios, mais conhecidos do grande público também estão presentes nosso programa de tratamento diário. Trata-se de consolas de jogo como a Wii Fit ou ainda a X-Box 360 kinect.

Reeducação das funções cognitivas

Usamos dispositivos informáticos específicos para estimular e trabalhar a memória, a concentração e o raciocínio do paciente. No caso de uma lateralização utilizamos a reabilitação gráfica.

Reeducação sensitiva das dores neuropáticas periféricas

A reabilitação sensitiva é uma abordagem terapêutica que tem como objetivo de diminuir as dores neuropáticas periféricas. Utiliza a neuroplasticidade do sistema nervoso para tratar alterações da sensibilidade cutânea e as complicações nociceptivas.

O terapeuta ocupacional efetua uma avaliação que permite mapear a área cutânea dolorosa ou os nervos lesados. A seguir, determina pequenos exercícios que o paciente deve fazer diariamente e várias vezes ao dia para diminuir as dores neuropáticas e reestimular uma sensibilidade cutânea normal.

O Rehazenter é o único centro em todo o Luxemburgo que possui uma equipa de três terapeutas ocupacionais formados e certificados para esta técnica inovadora.

RehaReck

Trata-se de um programa de tratamento dinâmico com uma equipa multidisciplinar de pacientes com lombalgias num grupo fechado sobre um tempo definido.

A intervenção em terapia ocupacional desenrola-se em duas fases: uma fase de avaliações, no início e no fim do programa e uma fase de tratamento do paciente que é regular durante a semana com temas orientados sobre a teoria, a propriocepção e a prevenção da coluna.

As posturas ergonómicas da coluna são ensinadas com simulação de diferentes atividades da vida diária. Além disso, são estabelicidos períodos de disscusão para responder às questões e de compartilhar a experiência individual de cada um nas situações dadas.

Em segundo lugar, são abordadas atividades de mobilidade espontânea e no final do programa será distribuido um folheto como recordação.

Prevenção das quedas

O grupo de prevenção de quedas é um grupo limitado e com uma duração estabelecida e é orientado por terapeutas ocupacionais e terapeutas de desporto adaptado.

O trabalho deste grupo centraliza-se à volta de tudo que esteja relacionado com quedas: fatores de risco, conselhos, recomendações, exercícios práticos relacionados com o quotidiano. Além disso, tem como objetivo de diminuir a ansiedade de cair e de estimular o gosto pela atividade física.

Tratamento de indíviduos com dores crónicas

A dor crónica pode ter consequências severas sobre a vida diária e sobretudo sobre a qualidade de vida da pessoa. O tratamento de indivídos com dores crónicas em terapia ocupacional baseia-se numa abordagem multi e interdisciplinar. Uma avaliação orientada das repercussões da dor crónica sobre as atividades da vida diária e sobre a qualidade de vida da pessoa interessada é efectuada ao início. O terapeuta ocupacional propõe diferentes estratégias da gestão da dor, conselhos de economia gestual e de organização (fraccionamento, pacing) nas atividades de vida diária, profissionais, sociais e recreativas. Se for necessário, o terapeuta ocupacional pode propor ajudas técnicas ou uma adaptação do ambiente.

Grupo de manutenção de cadeira de rodas

Este grupo trabalha em colaboração com a equipa de desporto adaptado e é destinado a pacientes que utilizam uma cadeira de rodas diariamente e de maneira autónoma. Faz o ensino de técnicas de manuseamento da cadeira de rodas no interior e no exterior.

SNOEZELEN

O Snoezelen constitui uma técnica que permite o relaxamento e a estimulação sensorial. O relaxamento e a estimulação do individuo através dos sentidos são os dois objetivos principais desta técnica.

Os terapeutas ocupacionais efetuam visitas domiciliares ou no local de trabalho do paciente para conhecer, aconselhar e sugerir eventuais mudanças arquitetónicas para facilitar o acesso do paciente.

Além disso, podem ser efetuadas simulações reais das atividades da vida diária tais como transferências, vestir, alimentação ou preparação de refeições numa cozinha terapêutica ou atividades na sociedade como por exemplo em transportes públicos. Podem ser efetuados avaliações especificas como as errancas múltiplas ou o perfil de Atividade da vida diária. Como atividades podem ser propostas trabalho em madeira no nosso atelier de madeira.

Ergokit

O Ergokit é uma ferramenta de avaliação especifica para testar as capacidades funcionais de um individuo que deseja ser orientado ou reintegrado numa profissão. É composta por uma avaliação física completa e se for necessário de uma visita ao local de trabalho com enfâse na participação do paciente ao longo deste processo. Esta ferramenta é destinada a pacientes em tratamento no Rehazenter ou após uma consulta médica de orientação e tem uma duração de 4 a 8 horas por pessoa.

CLECAR

Em 1999, o Rehazenter criou uma célula de ensino e retoma da condução de automóvel. Dando especial atenção às preocupações dos pacientes, a criação desta célula era fundamental para responder à necessidade da retoma e do ensino de condução.

O CLECLAR é o abreviado de Cellule Luxembourgeoise d’Evaluation à la Conduite Automobile Réadaptée signifinado em português: Celula luxemburguesa de Avaliação da condução de automóvel.

Colabora com vários profissionais de saúde do Centro tais como médicos, ortoptista, psicólogos e assistentes sociais.

O Serviço de terapia ocupacional está equipado com um quarto de viatura para avaliar a capacidade do individuo de se transferir e de simular a condução com ajudas ou mesmo com um automóvel de escola de condução adaptado. O terapeuta ocupacional avalia as capacidades funcionais do paciente e aconselha-o sobre eventuais ajudas técnicas. Como finalidade, o paciente será autónomo nos seus deslocamentos privados e profissionais.

O terapeuta ocupacional visa que o individuo retoma as suas atividades da vida diária da maneira autónoma mesmo com as suas limitações.

Psciologia

A missão do Rehazenter é de melhorar a qualidade de vida do paciente. Independentemente se nos encontramos perante um individuo com afeções do encéfalo ou com disfunções do sistema locomotor, ele apresenta sempre algum tipo de sofrimento importante quando é confrontado com atividades da vida diária ou com a sociedade.

O psicólogo de reabilitação funciona em diferentes dimensões:

  • Uma avaliação orientada para compreender a dimensão das dificuldades emocionais, cognitivas e comportamentais e obter um diagnóstico, além disso para elaborar um projeto de reabilitação.
  • O projeto de reabilitação é elaborado em conjunto com a equipa multidisciplinar e sobre responsabilidade do médico. É revisto periodicamente em função da evolução do paciente e pode apresentar vários objetivos diferentes: recuperação da função afetada ou em falta, compensação de um défice em função de competências preservadas, alterações do meio ambiente para facilitar uma vida com défices.
  • O trabalho de reabilitação das funções cognitivas, comportamentais e afetivas de pacientes com lesões encefálicas.
  • O tratamento da dor através do ensino de técnicas como por exemplo a auto-hipnose.
  • O acompanhamento de familiares e próximos apreensivos com as dificuldades criadas pela invalidez.
  • A consensualização dos défices e dos meios de adaptação psicológicos para viver com a(s) mudança(s).

O papel principal do psicólogo é de acompanhar o indíviduo nas mudanças no contexto da sua reabilitação, incluindo sempre os terapeutas e a equipa de cuidados de saúde. Além disso, deve respeitar sempre as capacidades emocionais, os recursos e o projeto de vida do paciente.

De mais, a ligação entre o Rehazenter e o exterior da estrutura hospitalar é fundamental na reintegração socio-familiar ou profissional ou escolar (Case Management).

No Rehazenter, os psicólogos são todos especializados em neuropsicologia e formados e certificados em psicoterapia. De acordo com o individuo e as suas necessidades pode ser proposto um acompanhamento psicoterapêutico (terapia sistémica, breve, hipnoterapia, EMDR/traumaterapia, etc.).

Além disso, os psicólogos apresentam competências especificas do seu interesse, tais como a dor, disfunções sexuais, vertigens e instabilidades (LIEN VERS SITE GROUPE),, alterações do comportamento, acompanhamento de familiares ou pediatria em colaboração com a equipa de ensino (LIEN SITE ECOLE DE L’ENFANT MALADE).

Para elaborar avaliações específicas, o Serviço de psicologia está sempre em contato direto com parceiros externos tais como a avaliação da aptitude de condução de automóvel (LIEN PROJET COSP-HR), a reinserção profissional (LIEN PROJET COSP-HR) e avaliações cognitivas particulares (ajuda para o diagnóstico, opinião para reencaminhamento, etc.).

A equipa de psicologia do Rehazenter orienta estágios, integra programas de investigação e está comprometido no ensino (LIEN CORDE)

Ortoptia

Este domínio encontra as suas raízes no grego ortho (direito) e opsie (olho, visão).

A ortoptia é uma profissão paramédica e tendo como função a despistagem, a reeducação ou a readaptação das disfunções visuais.

Em geral, os pacientes do Rehazenter que necessitam de uma avaliação em ortoptia sofreram uma afeção cerebral tais como um AVC, um traumatismo craneoencefálico ou uma patologia neurológica. A disfunção visual é dependente da localização desta afeção (paralisia oculomotora, afeção do campo visual, alterações neurovisuais, etc.).

A ortoptia pode também ajudar em alterações posturais e de equilíbrio ou de vertigens.

Por fim, uma das missões do serviço de ortoptia é de participar nas avaliações de aptitude à condução de automóvel.

Terapia da fala

A terapia da fala consiste em avaliar e em tratar alterações da linguagem verbal e escrita, da comunicação, da voz, da articulação, do discurso, da musculatura buco-linguo-facial e da deglutição. No Rehazenter, a terapia da fala é direcionada principalmente para pacientes com afeção neurológica tais como AVC, traumatismo craneoencefálico ou outra patologia neurológica.

Sobre prescrição médica, o terapeuta da fala realiza uma avaliação para elaborar objetivos e um plano terapêutico. O terapeuta da fala integra então uma equipa multidisciplinar, respeitando as necessidades individuais do paciente tendo como objetivo principal a sua autonomia e qualidade de vida.

Num contexto de reabilitação, o terapeuta da fala assiste o paciente para que ele possa conservar as suas capacidades o máximo tempo possível.

As sessões são geralmente individuais, mas também podem ser em grupo ou assistidos por um computador.

A prestação de serviços da terapia da fala inclui também o acompanhamento de familiares e próximos do paciente (conselhos, ensino, acompanhamento).

Serviço Social

Os fatores sociais influenciam a saúde das populações. A doença pode agravar problemas psico-sociais e financeiros, alterar o estatuto e romper as trajetórias da vida. Os problemas sociais podem provocar também um agravamento da patologia.

Uma abordagem hospitalar moderna caracteriza-se cada vez mais por um trabalho multidisciplinar onde o serviço social ocupa um lugar fundamental.

A partir do momento que o paciente dá entrada e até ao momento da sua alta, o serviço social do Rehazentar presta serviço a todos os pacientes internados no serviço de neurologia. A abordagem deve ser imediata para evitar prolongações do internamento devido a razões sociais.

O papel dos assistentes sociais consiste em ajudar os indivíduos que não são capazes de enfrentar problemas existenciais. Sendo assim, estes profissionais fazem o ensino para melhorar a capacidade de utilização dos recursos que os indivíduos possuem e dos recursos que a sociedade oferece.

  • Analisar as necessidades a curto, médio e longo prazo.
  • Promover a autonomia do paciente
  • Ajudar na reinserção do meio domiciliar, escolar e profissional em função do projeto e das expetativas do paciente ou dos familiares.
  • Reinserção social, familiar, cultural, escolar ou profissional   e estabelecimento de uma ligação social.
  • Orientar e aconselhar nos atos da vida social.
  • Ajudar na procura de uma alojamento adaptado.
  • Preparar com o paciente ou na ausência do mesmo e/ou a da família o regresso ao domicílio durante os fins de semana, a passagem para regime ambulatório e para a alta definitiva.
  • Informar, orientar e acompanhar o paciente e/ou a família em resoluções de problemas sociais, profissionais e administrativos.
  • A implementação de ações com ou sem o paciente e/ou a família em colaboração com serviços exteriores tais como CNS, AAA, CNAP, ADEM, serviços de prestação de cuidados domiciliários, assistentes sociais do setor, estruturas de habitações especializadas, etc.
  • A elaboração de um projeto de vida com o paciente e os seus familiares e próximos.
  • A manutenção dos direitos: formalidades administrativas adaptadas ao paciente (seguro de dependência, pensão de invalidez, cartão de estacionamento, etc.)
  • As visitas à domicílio, das instituições de alojamento e/ou no empregador.
  • As sínteses do percurso do paciente permitem elaborar os objetivos para o futuro.
  • As reuniões de família transmitem o resultado das avaliações e a criação de objetivos para o futuro.
  • Reuniões com os diferentes grupos de trabalho para melhorar o tratamento do paciente como por exemplo o grupo das dores crónicas.

Nutrição e Diética

O nutricionista é o especialista da alimentação. É um profissional de saúde cuja missão pode ser preventiva e curativa. Vela à qualidade e ao equilíbrio alimentar das pessoas de acordo com o seu estado de saúde, o seu modo de vida e a sua idade. A nutricionista situa-se na equipa médica, mais precisamente paramédica e está sob o patrocínio dos médicos. Num centro de reeducação como o nosso, a nutrição associada à restauração é primordial. De fato, um desequilíbrio alimentar pode ter consequências importantes em termos de mortalidade, morbidez, aumento dos períodos de hospitalização e de custos adicionais, além do impacto sobre a qualidade de vida. A nutrição é associada ao tratamento curativo ou preventivo de numerosas patologias como a diabetes, a obesidade, as neuropatias, as patologias digestivas etc.

O trabalho da nutricionista num centro de reabilitação funcional estende-se em vários níveis:

  • dar conselhos alimentares aos pacientes e os seus familiares em função das suas necessidades
  • trabalhar em equipa multi e interdisciplinar (médico, enfermeiro, auxiliar, terapeuta da fala, farmacêutico, etc.) para assegurar o acompanhamento dietético do paciente
  • relações com o serviço Restauração para assegurar a adaptação das refeições às diferentes patologias, texturas, alergias, aversões, etc.
  • ensino de conhecimentos dietéticos indispensável ao paciente, aos seus familiares ou às pessoas de transmissões para a saída do paciente (regresso a domicílio, colocação numa instituição,…)
  • assegurar com o cozinheiro ou a nutricionista de catering a instalação de ementas equilibradas e ementas alternativas em função dos regimes e das texturas alimentares
  • controlar os pratos destinados aos clientes e supervisionar a sua aceitabilidade
  • velar ao acompanhamento das regras de higiene alimentar
  • coordenar com o responsável Restauração a compra dos produtos dietéticos

O nutricionista assegura o ensino de conhecimentos alimentares dos funcionários de saúde e do responsável dietético em restauração que, ele, velará à formação dos funcionários de cozinha. Assegura igualmente formações de grupo de pacientes (exemplo: lombalgias crónicas).

  • avaliar a alimentação do paciente e adaptar os contributos nutritivos a todas as idades e a todas as situações (sob prescrição médica)
  • dar conselhos alimentares aos pacientes e aos seus familiares em função das suas necessidades
  • estabelecer documentos personalizados como planos alimentares, alternativas alimentares ou qualquer outro documento para corresponder ao pedido do paciente
  • trabalhar em equipa médica multi e interdisciplinar (médico, enfermeiro, auxiliar médico, terapeuta da fala, farmacêutico, etc.) para assegurar o acompanhamento dietético do paciente

Colaboração estreita com o enfermeiro higienista relacionada com a higiene alimentar (cozinha terapêutica, cozinha central, cozinha satélite, etc.)

CLECAR

Dando especial atenção às preocupações dos pacientes, a criação desta célula era fundamental para responder à necessidade da retoma e do ensino de condução.

O CLECLAR é o abreviado de Cellule Luxembourgeoise d’Evaluation à la Conduite Automobile Réadaptée signifinado em português: Celula luxemburguesa de Avaliação da condução de automóvel.

Colabora com vários profissionais de saúde do Centro tais como médicos, ortoptista, psicólogos e assistentes sociais.

O Serviço de terapia ocupacional está equipado com um quarto de viatura para avaliar a capacidade do individuo de se transferir e de simular a condução com ajudas ou mesmo com um automóvel de escola de condução adaptado. O terapeuta ocupacional avalia as capacidades funcionais do paciente e aconselha-o sobre eventuais ajudas técnicas. Como finalidade, o paciente será autónomo nos seus deslocamentos privados e profissionais.

O terapeuta ocupacional visa que o individuo retoma as suas atividades da vida diária da maneira autónoma mesmo com as suas limitações.

Grupo de ação da dor

As terapias funcionais acompanham-se frequentemente de fenómenos dolorosos. Um inquérito realizado junto dos pacientes no Rehazenter revela uma predominância de aproximadamente 78%.

A sua prevenção inicia com uma primeira etapa fundamental: técnicas de mobilização, carga progressiva, aplicação de tratamentos locais físicos em fisioterapia, técnicas de hidroterapia e uma ajuda medicamentosa que permitem frequentemente reduzir a intensidade e favorecer a continuação do programa de reabilitação.

Se necessário, é igualmente possível ter recurso à inalação de um gáos que compreende uma mistura equimolecular de oxigénio e de óxido de dinitrogênio (MEOPA), com efeitos analgésicos, relaxantes e reduzindo a ansiedade. O seu interesse reside na sua facilidade de utilização e a sua acção rápida e limitada à duração da inalação.

As técnicas de hipnose podem igualmente ser aplicadas. Dois psicólogos certificados nesta abordagem intervêm junto dos pacientes ao pedido dos médicos do Rehazenter.

A coordenação do tratamento das dores permanece assegurada pelo Médico especialista em Medicina Física e de Reabilitação.

Se a dor aguda representa um acontecimento relativamente simples, o cronicidade dos fenómenos dolorosos torna-se claramente mais complexo de analisar. A dor não contitui mais uma simples informação sensorial sobre a condição do corpo: contem muitas características emocionais e afetivas, que vão determinar em parte as respostas comportamentais.

O programa de tratamento necessita de uma abordagem diferente, bio-psico-social, que terá em conta as diferentes componentes da dor. É então necessário poder se apoiar numa equipa multi e interdisciplinar, orientado para um objectivo coerente e fixado no início do programa de tratamento. Esta coerência entre o objetivo do paciente e da equipa permanece uma prioridade e uma condição indispensável para um sucesso terapêutico.

Compreenderá uma avaliação inicial que tente ensinar o melhor possível os mecanismos dolorosos e orientar o conteúdo do programa de tratamento. Todo o tipo de profissões podem intervir para elaborar os objetivos: médico, fisioterapeuta, psicólogo, terapeuta ocupacional, assistente social, terapeuta em desporto adaptado, enfermeira.

Um tratamento individual e/ coletivo, uma partilha das observações e resultados em sínteses multi e interprofissionais e uma redefinição de novos objetivos constituem a base deste tratamento específico. O estabelecimento do programa e a sua coordenação permanece sob a responsabilidade do médico especialista em Medicina Física e de Reabilitação que poderá se for necessiário, fazer apelo a outros domínios médico, tais como a especialidade anestesia-reanimação.

O Grupo de ação da dor (G.A.D) é composto de representantes das diferentes profissões que intervêm junto dos pacientes tratados no Rehazenter: médico especialista em Medicina Física e de Reabilitação, psicólogo, fisioterapeuta, terapeuta ocupacional, enfermeira, assistente social, auxiliar médico, nadador salvador, etc.

As missões do Grupo de ação da dor são orientadas ao mesmo tempo para os pacientes e para os colaboradores no Rehazenter: este grupo multi e interdisciplinar deve garantir a promoção dos pontos seguintes:

  1. Incentivar aum processa de evacuação dos fenómenos dolorosos antes de uma abordagem terapêutica.
  2. Sensibilizar à importância de fatores psicológicos e ambientais.
  3. Incentivar os pacientes a exprimir as suas dores.
  4. Favorecer uma abordagem multi e interdisciplinar.
  5. Participar à formação contínua em matéria de aldologia, etc.
  6. Participar ativamente no programa de tratamento da dor no estabelecimento.
  7. Importância da posição do referente da dor no estabelecimento.
  8. Prosseguir ao desenvolvimento da consulta de dor crónica.
  9. Favorecer as trocas em matéria de aldologia a nível inter hospitalar.
  10. Promover o lugar do Rehazenter numa rede nacional de aldologia.

Qualquer tratamento deve começar por uma consulta médico referente: os casos clínicos são discutidos seguidamente em equipa multi e interdisciplinar e uma decisão é proposta ao paciente.

Para qualquer informação complementar, contatam o secretariado através dos números:

2698-4107/4108.