Introdução

O serviço de neurologia tem como função de cuidar de pacientes com algum défice de origem neurológica, sendo ela adquirida ou congénita, tais como: acidente vascular cerebral, traumatismo craneoencefálico, paraplegia, tetraplegia, esclerose em placas, tumores encefálicos, patologias musculares, paralisia cerebral, etc..

O conjunto de limitações de uma deficiência exige uma prestação de cuidados por vários tipos de terapeutas e com competências especificas, formando uma equipa coordenada por um médico especializado em Medicina Física e de Reabilitação.

O tratamento de um défice neuro-motor de uma criança é assegurado por uma colaboração das equipas terapêuticas e dos estabelecimentos de cuidados de saúde vizinhos. Uma avaliação de distúrbios motores e cognitivos é fundamental, além de uma gestão adequada dos distúrbios funcionais resultantes da lesão inicial, da dismorfofobia e dos distúrbios de aprendizagem.

Os objetivos dos programas de reabilitação neurológicos são de avaliar num primeiro tempo a deficiência de varias estruturas para a seguir propor atividades terapêuticas especificas e adaptadas à evolução médica e do ambiente social e familial do paciente. A finalidade da nossa prestação de serviços é a reinserção social e profissional.

Medicina Física e de Reabilitação

A equipa médica do serviço de neurologia é constituída por:

  • Dr Thierry DEBUGNE
  • Dr Frédéric CHANTRAINE
  • Dr Elisabeth KOLANOWSKI
  • Dr José PEREIRA
  • Dr Samuel SALAZAR

As atividades médicas do serviço de neurologia são:

  • Consultas externas, admissões e consultas de medicina física e de reabilitação
  • Exames complementares de diagnóstico :

Exames complementares de diagnóstico :

  • Exames eletrofisiológicos: eletromiografia, estudo de potenciais evocados,
  • Exames neurodinâmicos,
  • Análise quantificada do movimento e da postura:

As alterações do movimento são frequentemente complexas. As incertezas no diagnostico devem ser eliminadas para conduzir as indicações terapêuticas. A análise quantificada do movimento permite um registo simultâneo das trajetórias tridimensionais do movimento, das forças (através de uma plataforma de forças) e das atividades musculares (através de eletromiografia múltipla e dinâmica). Isto resulta numa abordagem adaptada aos distúrbios motores que afetam a postura, o equilíbrio, a marcha, a exploração especial e a preensão.

O exame postural permite de avaliar o bom funcionamento das entradas sensoriais e a sua integração na medula colunal através dos centros superiores responsáveis pela estabilização e orientação do paciente.

  • Consulta de avaliação de do tratamento de espasticidade e da distonia,
  • Bloqueios motores com anestésicos locais e agentes neurolíticos (toxina botulínica, fenol, álcool).

O conjunto destas atividades estendem-se ao longo de semanas ou mesmo meses respeitando o conceito da continuidade dos cuidados. Necessita de uma colaboração estreita com outras estruturas hospitalares, com insituições de cuidados continuados, com o ambiente profissisonal, redes de cuidados domiciliarios et por fim com os familiares.

Devido à frequência e à repercussão dos problemas urinais e sexuais em patologias de foro neurológico no dia a dia destes pacientes, um atividade especializada de nome UdEPP foi desenvolvida.

Esta atividade tem como objetivo de analisar as disfunções vesico- esfíncteriais e neuro-sexuais, propor um projeto terapêutico respeitando a condição de saúde do paciente e assegurar um seguimento medio e longo prazo: avaliações comparativas, adaptações dos medicamentos, ajudas técnicas inovadoras, ensino dos pacientes e dos seus próximos.

Departamento de cuidados de saúde

O departamento de cuidados de saúde é constituído pelo serviço de internamento com três unidades de cuidados de saúde e três apartamentos terapêuticos, além disso a policlínica que é responsável pelo tratamento dos pacientes ambulatórios.

É espacializada no tratamento de patologias neurológicas, tais como acidentes vasculares cerebrais, traumatismos craneoencefálico e traumatismos medulares entre outros.

A unidade de internamento é composta por:

  • 12 quartos duplos
  • 6 camas simples

É especializada na prestação de cuidados em patologias neurológicas pesadas tais como fase de acordar do coma, acidentes vasculares cerebrais, traumatismos craneoencefálicos, traumatismos medulares, etc.

A unidade de internamento é composta por:

  • 12 quartos individuais, em que 4 quartos são de vigilância intensiva, 4 quartos de isolamento especifico e 1 quarto de segurança.

Os défices funcionais e cognitivos dificultam a autonomia nas atividades da via diária (vestir, higiene, alimentação), nas transferências (levantar, deitar, transferência da cama para a cadeira de rodas) e nas deslocações. Por essa razão, os apartamentos terapêuticos têm a função de criar uma transição entre o nível anterior dependência e o regresso ao domicilio.

Os apartamentos terapêuticos representam um sitio privilegiado onde o projeto do paciente pode ser adaptado, reavaliado ou confirmado na presença da equipa de cuidados de saúde. Além disso, o paciente beneficia da totalidade da plataforma técnica do Centro.

A equipa destas duas unidades e dos apartamentos terapêuticos é formada por enfermeiros e auxiliares especializados em reabilitação funcional e trabalham de maneira multidisciplinar; prestando os seguintes cuidados:

  • Cuidados da vida diária: higiene, vestir, alimentação, mobilização, eliminação; etc.
  • Cuidados técnicos: curativos, algaliações, perfusões, monitorização, gestão de medicamentos, cuidados de pessoas em isolamento, colheitas biológicas, etc.
  • Cuidados preventivos de complicações associadas às patologias
  • Avaliação e monitorização da dor
  • Ensino do paciente e/ou dos seus próximos
  • Transmissões entre o paciente, os familiares, as redes de cuidados domiciliares, etc
  • Preparação ao regresso ao domicílio ou instituição

A abordagem dos cuidados em reabilitação passam pela avaliação das necessidades e das capacidades do paciente, l’identification des moyens à mettre en œuvre pour permettre un gain optimal d’autonomie, e do acompanhamento de cuidados para que o paciente possa atingir os seus objetivos pessoais.

Uma enfermeira referente acolhe e acompanha o paciente ao longo de toda a sua estadia. Ela intervém no final na preparação da alta do paciente colaborando com os outros profissionais de saúde. Esta função permite ao paciente e aos seus familiares de ter um profissional de saúde de referência, que esteja em conexão constante com todas as unidades de cuidados.

Prestações de conforto para o paciente internado :

  • Uma animadora propõe atividades ocupacionais para alegrar o dia a dia dos nossos pacientes
  • Um serviço de pedicura, formado por dois profissionais diplomados, que pode ser requirido por razões estéticas ou médicas
  • Um serviço de lavandaria se necessário

A policlínica está ao dispor dos pacientes ambulatórios, cuidando das diferentes necessitados e é composta por enfermeiros e auxiliares especializados em reabilitação funcional; prestando os seguintes cuidados:

  • Cuidados da vida diária: higiene e vestir relacionado com a hidroterapia, alimentação, mobilização, eliminação; etc.
  • Cuidados técnicos: curativos, algaliações, monitorização dos parâmetros, gestão de medicamentos, cuidados de pessoas em isolamento, colheitas biológicas, etc.
  • Gestão das urgências
  • Ensino do paciente e/ou dos seus próximos
  • Transmissões entre o paciente, os familiares, as redes de cuidados domiciliares, etc.

Os auxiliares de transporte de pacientes são especializados no transporte de pacientes em internamentos ou em regime ambulatório.

Serviço Fisioterapia

O serviço de fisioterapia neurológica, tem um papel fundamental na equipa multidisciplinar de reabilitação e é destinado a pacientes com patologias ou traumatismos do sistema nervoso central (SNC) tendo como objetivo de limitar essas consequências provocadas.

As missões da fisioterapia neurológica são:

  • Avaliar os défices e incapacidades provocadas da afeção do SNC
  • De elaborar e rever o plano de tratamento individual
  • Limitar as consequências biológicas, sociais e profissionais da afeção do SNC com técnicas de reabilitação
  • Mobilização passiva, ativa e o fortalecimento muscular
  • Manutenção ou aumento das amplitudes de movimento articulares e musculares por alongamentos e/ou posturas
  • Reabilitação neuromotora
  • Reabilitação do equilíbrio
  • Treino da marcha
  • Crioterapia, caloterapia, eletroterapia
  • Hidroterapia
  • Terapia assistida e robótica (Lokomat)
  • Implementação de talas, ortóteses e da estimulação elétrica e funcional (SEF)

Além disso, a equipa de fisioterapia participa em projetos de investigação clinica, está representada em sociedades com renome e orienta futuros profissionais de saúde.

A fisioterapia respiratória é fundamental no tratamento do paciente e tem como objetivo de:

  1. Prevenir a acumulação de secreções
  2. Ajudar na eliminação de secreções

As técnicas utilizadas são as seguintes:

  • Técnicas de aumento das capacidades pulmonares
  • Técnicas de eliminação de secreções manuais
  • Técnicas de eliminação de secreções instrumentais tais como Mechanical In-Exsufflation (MI-E -> Cough Assit ®) ou bien l’intrapulmonary percussive ventilation (IPV -> Percussionnaire®)
  • Aerosolterapia prescritas pelo médico e em colaboração com as unidades de cuidados de saúde

A fisioterapia pélvica destina-se a pacientes com:

  • Disfunções vésico-esfíncteriais e/ou do anus e reto de origem neurológica ou traumática.
  • Dores pélvicas
  • Disfunções sexuais

Este tipo de tratamento poderá ser prescrito igualmente em casos pediátricos e é executado por terapeutas espacializadas.

Graças a uma consulta médica especializada e a graças a uma plataforma que permite a avaliação do esfíncter perineal na sua totalidade, o paciente recebe uma prescrição médica com um tratamento adaptado e coerente à sua disfunção.

A avaliações são baseadas em avaliações estandardizadas e validadas tais como o teste muscular e de sensibilidade do esfíncter perineal.

Métodos utilizados:

  • Fortalecimento analítico e global do pavimento pélvico
  • Proprioceção
  • Eletroterapia, biofeedback, etc.
  • Fortalecimento abdominal com técnicas específicas: técnica Abdo MG, exercícios abdominais hipopressivos (De Gasquet, Caufriez, etc.)

Reabilitação psicomotora

A especificidade da reabilitação psicomotora consiste na análise do plano corporal e psicológico do individuo. Este tipo de especialização permite analisar o paciente na sua globalidade, estando à escuta das suas capacidades e incapacidades e presentando uma atenção especial às suas manifestações psico-corporais. A avaliação psicomotora consiste em testes adaptados à idade e à patologia do paciente. Permite então avaliar as capacidades e incapacidades do paciente ao longo da sua evolução e de avaliar o desenvolvimento das suas capacidades relacionais com o seu meio ambiente.

A avaliação psicomotora aborda o conjunto de atividades e expressões corporais, tais como:

  • Coordenação
  • Equilíbrio
  • Tónus
  • Consciência corporal: o esquema corporal
  • Estruturação no espaço e no tempo: a lateralidade
  • Gesto simbólico
  • Relação do corpo com o seu meio ambiente e situações inabituais

O psicomotricionista intervém nas diferentes manifestações da patologia em domínios como: perinatal, pós-natal, neurológico, sensorial, psicossomático, geriatria, psiquiátrico.

Estas manifestações podem ser:

  • Alterações motoras e da perceção
  • Alterações práxicas
  • Alterações tónicas e emocionais
  • Alterações na consciencialização corporal, do esquema corporal e da imagem corporal
  • Alterações comportamentais
  • Alterações da personalidade

A reabilitação é feita através de técnicas de relaxamento, de ensino gestual e de expressão corporal. Além disso, utiliza atividades rítmicas, jogos, exercícios de equilíbrio e de coordenação; usando diferentes meios como por exemplo a água.

Desporto adaptado e hidroterapia

A terapia de desporto adaptado e a hidroterapia necessitam de prescrição médica e têm um papel fundamental no tratamento dos pacientes no Rehazenter.

Os pacientes são assistidos por seis terapeutas de desporto adaptado e dois nadadores salvadores. A equipa trabalha em estreita colaboração com os outros serviços (fisioterapia, terapia ocupacional, equipa médica, etc.).

O objetivo é de integrar a atividade física no tratamento funcional do paciente. O tratamento em desporto adaptado baseia-se numa avaliação prévia e pode ser individual ou em grupo. Consiste na adaptação de atividades físicas a todas as patologias respeitando os objetivos pessoais e terapêuticas do paciente (através de adaptações didáticas e logísticas, modificações das regras) e na descentralização do foco da lesão. A particularidade da hidroterapia é de iniciar precocemente uma mobilização ativa e em segurança.

As atividades físicas propostas permitem o desenvolvimento de relações sociais e de entreajuda. Desperta aos pacientes um interesse novo para uma vida mais ativa e para outros o interesse para um deporto de competição.

O serviço de desporto adaptado e de hidroterapia participa na orientação de estagiários em atividade física adaptada de diferentes instituições universitárias internacionais.

Além disso, participam na colaboração dos grupos:

  • Prevenção de quedas
  • AMR (Aktivitätstest zur Mobilität im Rollstuhl) para os pacientes em cadeira de rodas
  • Rehareck (treino cardiovascular, fortalecimento muscular e hidroterapia).

Terapia ocupacional

O individuo pode apresentar dificuldades na realização das atividades da vida diária em que o terapeuta ocupacional pode intervir tais como: vestir, alimentação, higiene pessoal, transferências, deslocamentos, manutenção da casa, recreação, trabalho e a condução de automóvel entre outros.

O objetivo da terapia ocupacional é a manutenção, restauração e a realização destas atividades de maneira segura, autónoma e eficaz. Tem um papel fundamental na prevenção, na redução ou na eliminação de défices respeitando os hábitos de vida e do meio ambiente do individuo.

No Rehazenter, o terapeuta ocupacional intervém na reabilitação de maneira a “fazer melhor” e “fazer com” através de meios de compensação tudo sob prescrição médica.

O tratamento do paciente faz se com apoio de uma equipa multidisciplinar, colocando o paciente no centro de processo de revalidação. O paciente é o agente principal da sua recuperação e tem que formular um objetivo de vida e de acompanhamento ao longo da sua estadia.

A prestação de cuidados de terapia ocupacional neurológica está dividia por duas salas.

Uma das vantagens do Rehazenter é a grande diversidade de meios à disposição dos pacientes:

O serviço de reabilitação de terapia ocupacional do Rehazenter permite uma reabilitação analítica após uma avaliação inicial. Este trabalho é desenvolvido à volta de atividades propostas e de diferentes exigências motoras, sensoriais, psicológicas e socio-culturais. O serviço possui meios complementares específicos para acompanhar o paciente no seus percurso de cuidados.

Ortóteses

O serviço de terapia ocupacional possui um atelier de ortóteses que está situado no departamento de reabilitação traumato-ortopédica do membro superior. A conceção de ortóteses dinâmicas e estáticas é realizada por terapeutas ocupacionais especializados. Estas ortóteses são destinadas a pacientes em regime ambulatório ou em internamento.

Os objetivos terapêuticos de ortóteses são:

  • Efeito analgésico
  • Imobilizar ou repousar uma ou várias articulações
  • Recuperar ou prevenir défices de amplitudes articulares
  • Corrigir ou reduzir uma deformação
  • Favorecer a cicatrização cutânea
  • Assistir funcionalmente
  • Mobilizar precocemente e em segurança

O paciente recebe em conjunto com a sua ortótese uma ficha de informação sobre os objetivos e conselhos de uso e de manutenção da mesma. A função do serviço de terapia ocupacional é igualmente de garantir um acompanhamento e reparação das ortóteses criadas

Ajudas técnicas

Dependendo da gravidade da afeção motora o individuo pode ser sujeito de se movimentar numa cadeira de rodas. O terapeuta ocupacional determina as características necessárias da cadeira de rodas e faz o ensino ao utilizador sobre a sua utilização, o deslocamento e a transferência. Outras ajudas técnicas que podem facilitar certas atividades são: sistemas de controlo do meio ambiente ou entre outras ajudas técnicas para vestir, preparação de refeições ou passatempos.

Reabilitação virtual

A reabilitação virtual tem um papel importante nos dias de hoje. No Centro de Reabilitação Funcional utilizamos instrumentos tais como o Arméo, a reabilitação global e especifica do membro superior e o E-link mais direcionando para distal.

Reabilitação das funções cognitivas

Usamos dispositivos informáticos específicos para estimular e trabalhar a memória, a concentração e a lógica do paciente. No caso de uma lateralização utilizamos a reabilitação gráfica.

Reabilitação de dores neuropáticas periféricas

A reabilitação de dores neuropáticas periféricas utiliza a neuroplasticidade do sistema nervoso para tratar alterações da sensibilidade cutânea e as complicações nociceptivas consequentes.

O terapeuta ocupacional efetua uma avaliação que permite mapear a área cutânea dolorosa ou os nervos lesados. A seguir, determina pequenos exercícios que o paciente deve fazer diariamente e várias vezes ao dia para diminuir as dores neuropáticas e reestimular uma sensibilidade cutânea normal.

O Rehazenter é o único centro em todo o Luxemburgo que possui uma equipa de três terapeutas ocupacionais formados e certificados para esta técnica inovadora.

Prevenção de quedas

O grupo de prevenção de quedas é um grupo limitado e com duração determinado e orientado por terapeutas ocupacionais e terapeutas de desporto adaptado.

O trabalho deste grupo centraliza-se à volta de tudo que esteja relacionado com quedas: fatores de risco, conselhos, recomendações, exercícios práticos relacionados com o quotidiano. Além disso, tem como objetivo de diminuir a ansiedade de cair e de estimular o gosto pela atividade física.

Grupo de manutenção de cadeira de rodas

Este grupo trabalha em colaboração com a equipa de desporto adaptado e é destinado a pacientes que utilizam uma cadeira de rodas diariamente e de maneira autónoma. Faz o ensino de técnicas de manuseamento da cadeira de rodas no interior e no exterior.

Snoezelen

O Snoezelen constitui uma técnica que permite o relaxamento e a estimulação sensorial. O relaxamento e a estimulação do individuo através dos sentido são os dois objetivos principais desta técnica.

Os terapeutas ocupacionais efetuam visitas domiciliares ou no local de trabalho do paciente para conhecer, aconselhar e sugerir sobre eventuais mudanças arquitetónicas para facilitar o acesso do paciente a esses sítios.

Além disso, podem ser efetuadas mise en sitaution reais relacionadas com atividades da vida diária tais como transferências, vestir , alimentação ou preparação de refeições numa cozinha terapêutica ou relacionadas com o meio ambiente tais como transportes públicos. Podem ser efetuadas avaliações específicas como as ‘’errances multiples’’ ou o perfil de atividade da vida quotidiana. Como atividades podem ser propostas trabalho em madeira no nosso atelier de madeira.

Ergokit

O Ergokit é uma ferramenta de avaliação especifica para testar as capacidades funcionais de um individuo que deseja ser orientado ou reintegrar uma profissão. É composta por uma avaliação física completa e se for necessário de uma visita ao local de trabalho com enfâse na participação do paciente ao longo deste processo. Esta ferramenta é destinado a pacientes em tratamento no Rehazenter ou após uma consulta médica de orientação e tem uma duração de 4 a 8 horas por pessoa.

CLECAR

Em 1999, o Rehazenter criou uma célula de ensino e retoma da condução de automóvel. Dando espacial atenção às preocupações dos pacientes, a criação desta célula era fundamental para responder à necessidade da retoma e do ensino de condução.

O CLECLAR é abreviado de Cellule Luxembourgeoise d’Evaluation à la Conduite Automobile Réadaptée signifinado em português: Celula Luxemburguesa de Avaliação da Condução de Automóvel.

E colabora com vários profissionais de saúde do Centro tais como médicos, ortoptistas, psicólogos e assistentes sociais.

O serviço de terapia ocupacional está equipado com um quarto de viatura para avaliar a capacidade do individuo de se transferir e de simular a condução com ajudas ou mesmo com um automóvel de escola adaptado. O terapeuta ocupacional avalia as capacidades funcionais do paciente e aconselha o de ajudas técnicas para a condução. Como consequência, o paciente será autónomo nos seus deslocamentos privados e profissionais.

O terapeuta ocupacional visa que o indivuo retoma as suas atividades da vida diária da maneira autonoma mesmo com as suas limitações.

Psicologia

A missão do Rehazenter é de melhorar a qualidade de vida do paciente. Independentemente se estamos perante de um indivíduo com afeções do encéfalo ou com disfunções do sistema locomotor, podem apresentar um sofrimento importante quando são confrontados com atividades da vida diária ou com a sociedade.

O psicólogo de reabilitação funciona em diferentes dimensões:

  • Uma avaliação orientada para compreender a dimensão das dificuldades emocionais, cognitivas e comportamentais e obter um diagnóstico, além para elaborar um projeto de reabilitação.
  • O projeto de reabilitação é elaborado em conjunto com a equipa multidisciplinar e sobre responsabilidade do medico. É revisto periodicamente em função da evolução do paciente e pode apresentar vários objetivos diferentes: recuperação da função afetada ou em falta, compensação de um défice em função de competências preservadas, alterações do meio ambiente para facilitar uma vida com défices.
  • O trabalho de reabilitação das funções cognitivas, comportamentais e afetivas de pacientes com lesões encefálicas.
  • O tratamento da dor através do ensino de técnicas como por exemplo a auto-hipnose.
  • O acompanhamento de familiares e próximos apreensivos com as dificuldades criadas pela invalidez.
  • A consensualização dos défices e dos meios de adaptação psicológicos para viver com a(s) mudança(s).

O papel principal do psicólogo é de acompanhar o individuo nas mudanças no contexto da sua reabilitação, incluindo sempre os terapeutas e a equipa de cuidados de saúde. Além disso, deve respeitar sempre as capacidades emocionais, os recursos e o projeto de vida do paciente.

De mais, a ligação entre o Rehazenter e o exterior da estrutura hospitalar é fundamental na reintegração socio-familiar ou profissional ou escolar (Case Management).

No Rehazenter, os psicólogos são todos especializados em neuropsicologia e formados e certificados em psicoterapia. De acordo com o individuo e as suas necessidades pode ser proposto um acompanhamento psicoterapêutico (terapia sistémica, breve, hipnoterapia, EMDR/traumaterapia, etc.).

Além disso, os psicólogos apresentam competências especificas do seu interesse, tais como a dor, disfunções sexuais, vertigens e instabilidades, alterações do comportamento, acompanhamento de familiares ou pediatria em colaboração com a equipa de ensino.

Para elaborar avaliações específicas, o serviço de psicologia está sempre em contato direto com parceiros externos tais como a avaliação da aptitude de condução de automóvel, a reinserção profissional e avaliações cognitivas particulares (ajuda para o diagnóstico, opinião para reencaminhamento, etc.).

A equipa de psicologia do Rehazenter orienta estágios, integra programas de investigação e está comprometido no ensino.

Ortoptia

Este domínio encontra as suas raízes no grego ortho (direito) e opsie (olho, visão).

A ortoptia é uma profissão paramédica e tendo como função a despistagem, a reeducação ou a readaptação das disfunções visuais.

Em geral, os pacientes do Rehazenter que necessitam de uma avaliação em ortoptia sofreram uma afeção cerebral tais como um AVC, um traumatismo craneoencefálico ou uma patologia neurológica. A disfunção visual é dependente da localização desta afeção (paralisia oculomotora, afeção do campo visual, alterações neurovisuais, etc.).

A ortoptia pode também ajudar em alterações posturais e de equilíbrio ou de vertigens.

Por fim, uma das missões do serviço de ortoptia é de participar nas avaliações de aptitude à condução de automóvel.

Terapia da fala

A terapia da fala consiste em avaliar e em tratar alterações da linguagem oral e escrita, da comunicação, da voz, da articulação, do discurso, da musculatura buco-linguo-facial e da deglutição. No Rehazenter, a terapia da fala é direcionada principalmente para pacientes com afeção neurológica tais como um AVC, um traumatismo craneoencefálico ou uma patologia neurológica.

Sobre prescrição médica, o terapeuta da fala realiza uma avaliação para elaborar objetivos e um plano terapêutico. O terapeuta da fala integra então numa equipa multidisciplinar, respeitando as necessidades individuais do paciente tendo como objetivo principal a sua autonomia e qualidade de vida.

Num contexto de reabilitação, o terapeuta da fala assistira o paciente para que ele possa conservar as suas capacidades durante o maior tempo possível.

As sessões são geralmente individuais, mas também podem ser em grupo ou assistidos por um computador.

A prestação de serviços da terapia da fala inclui também o acompanhamento de familiares e próximos do paciente (conselhos, ensino, acompanhamento).

Serviço Social

Os fatores sociais influenciam a saúde das populações. A doença pode agravar problemas psico-sociais e financeiros, alterar o estatuto e romper as trajetórias da vida. Os problemas sociais podem provocar também um agravamento da patologia.

Uma abordagem hospitalar moderna caracteriza cada vez mais por um trabalho multidisciplinar onde o serviço social ocupa um lugar fundamental.

A partir do momento que o paciente dá entrada e até ao momento da sua alta, o serviço social do Rehazentar presta serviço a todos os pacientes internados no serviço de neurologia. A abordagem deve ser imediata para evitar prolongações da estadia devido a causas sociais.

O papel dos assistentes sociais consiste em ajudar os indivíduos que não são capazes de enfrentar os problemas existenciais. Sendo assim, estes profissionais fazem o ensino para melhorar a capacidade de utilização dos recursos que os indivíduos possuem e dos recursos que a sociedade oferece.

  • Analisar as necessidades a curto, médio e longo prazo.
  • Promover a autonomia do paciente
  • Ajudar na reinserção no meio domiciliar, escolar e profissional em função do projeto e das expetativas do paciente ou dos familiares.
  • Reinserção social, familiar, cultural, escolar ou profissional   e estabilizando uma ligação social.
  • Orientar e aconselhar nos atos da vida social.
  • Ajudar na procura de um alojamento adaptado.
  • Preparar com o paciente ou na ausência do mesmo e/ou a da família o regresso ao domicilio durante os fins de semana, a passagem para ambulatório e a alta definitiva.
  • Informar, orientar e acompanhar o paciente e/ou a família nas resoluções de problemas sociais, profissionais e administrativos.
  • A implementação de ações com ou sem o paciente e/ou a família em colaboração com serviços exteriores tais como CNS, AAA, CNAP,ADEM, serviços de prestação de cuidados domiciliários, assistentes sociais do setor, estruturas de habitações especializadas, etc.).
  • A elaboração de um projeto de vida com o paciente e os seus familiares e próximos.
  • A manutenção dos direitos: formalidades administrativas adaptadas ao paciente ( seguro de dependência, pensão de invalidez, cartão de estacionamento, etc.)
  • As sínteses do percurso do paciente permitem elaborar os objetivos para o futuro.
  • As reuniões de família transmitem o resultado das avaliações e a criação de objetivos para o futuro.
  • Reuniões com os diferentes grupos de trabalho para melhorar o tratamento do paciente tais como o grupo das dores crónicas.

Nutrição e Diética

A nutricionista é o especialista da alimentação. É um profissional da saúde cuja missão é preventiva que tanto curativa. Vela à qualidade e ao equilíbrio alimentar das pessoas de acordo com o seu estado de saúde, o seu modo de vida e a sua idade. A nutricionista situa-se na equipa médica, paramédica e está sob a prescrição dos médicos. Num centro de reeducação como o nosso, a nutrição associada à restauração é primordial. Com efeito, um desequilíbrio alimentar pode ter consequências importantes em termos de mortalidade, morbidez, aumento do tempo de hospitalização e de custos adicionais sem esquecer o impacto sobre a qualidade de vida. A nutrição é associada ao tratamento curativo ou preventivo de numerosas patologias como a diabetes, a obesidade, as nefropatias, as patologias digestivas, entre outros.

O trabalho da nutricionista num centro de reeducação funcional e de readaptação faz-se a vários níveis:

  • dar conselhos alimentares aos pacientes e os seus familiares em função das suas necessidades
  • trabalhar em equipa médica pluri e interdisciplinar (médico, enfermeiro, auxiliar médico, terapeuta da fala, farmacêutico, etc.) para assegurar o acompanhamento dietético do paciente
  • relações com o serviço de Restauração para assegurar a adaptação das refeições às diferentes patologias, texturas, alergias, aversões, etc.
  • ensino de conhecimentos dietéticos indispensável ao paciente, aos seus familiares ou às pessoas de transmissões para a saída do paciente (regresso a domicílio, colocação numa instituição,…)
  • assegurar com o cozinheiro ou a nutricionista de catering a instalação de ementas equilibradas e ementas alternativas em função dos regimes e das texturas alimentares
  • controlar os pratos destinados aos clientes e supervisionar a sua aceitabilidade
  • velar ao acompanhamento das regras de higiene alimentar
  • coordenar com o responsável Restauração a compra dos produtos dietéticos

O nutricionista assegura o ensino de conhecimentos alimentares dos funcionários de saúde e do responsável dietético em restauração que, ele, velará à formação dos funcionários de cozinha. Assegura igualmente formações de grupo de pacientes (exemplo: lombalgias crónicas).

Em consultas individuais para pacientes hospitalizados e ambulatórios

  • avaliar a alimentação do paciente e adaptar os contributos nutritivos a todas as idades e a todas as situações (sob prescrição médica)
  • dar conselhos alimentares aos pacientes e aos seus familiares em função das suas necessidades
  • oestabelecer documentos personalizados como planos alimentares, alternativas alimentares ou qualquer outro documento para corresponder ao pedido do paciente
  • trabalhar em equipa médica multi e interdisciplinar (médico, enfermeiro, auxiliar médico, terapeuta da fala, farmacêutico, etc.) para assegurar o acompanhamento dietético do paciente
  • Estreita colaboração com o enfermeiro higienista relativo à higiene alimentar (cozinha terapêutica, cozinha central, cozinha satélite, etc.)

UdEPP

Este serviço tem como objectivos:

  1. Avaliar os disfuncionamentos da bexiga e dos esfíncteres.
  2. Propor tratamentos médicos, ou mesmo cirúrgicos, integrados ao conjunto da deficiência e um programa de tratamento global, multi e interprofissional.
  3. Garantir uma educação do paciente e dos seus familiares (por exemplo auto e hetero sondagem intermitente).
  4. Garantir um acompanhamento e uma adaptação regular dos tratamentos e ajudas técnicas, em função da evolução da doença e da tecnologia.
  5. Realizar avaliações neurosexológicas e propor as terapias mais adaptadas à condição médica do paciente e às suas necessidades (tratando perturbações da ereção e a ejaculação).

A equipa do UdEPP é composta por dois médicos especialistas em Medicina Física e Reabilitação, tendo uma formação específica em neuro-urologia e urodinâmica, e de uma enfermeira especializada em reeducação. Esta equipa dispõe de duas cadeias de urodinâmica em conjunto com a exploração eletrofisiológica, um aparelho portátil de ecografia que permite realizar medidas não invasivas dos resíduos pós micção, de uma unidade de radiologia que permite visualizar o conjunto do aparelho vesico ureteral (UrétroCystographie Rétrograde perMictionnelle-Echographie) e um conjunto de instrumentos didáticos, um apoio indispensável ao ensino do paciente.

As suas salas são situadas no rés-do-chão do Rehazenter, no sector dos Exames Complementares.

Para marcações contacte o (+352) 2698 4106/4107.

CLECAR

Desde 1999, o Centro Nacional de Reeducação Funcional e Readaptação desenvolveu uma célula relativa à aprendizagem e à retoma da condução automóvel. Centrado nas preocupações de vida das pessoas, parecia evidente responder a esta necessidade de retoma ou aprendizagem à condução.

O CLECAR, Célula Luxemburguesa de Avaliação à Condução Automóvel Reabilitada, em colaboração com outras profissões presentes no Centro como médicos, ortoptista, psicólogo, assistente social permite uma retoma ou uma aprendizagem da condução automóvel.

O serviço da terapia ocupacional é equipado de um quarto de automóvel para avaliar as capacidades às transferências, um simulador de condução com ajudas à condução e do veículo da escola de condução adaptada. O terapeuta ocupacional será conduzido a avaliar as capacidades funcionais da pessoa antes de aconselhar sobre as ajudas técnicas à condução. A pessoa poderá assim reencontrar a plena autonomia nas suas deslocações, privadas ou profissionais.

O terapeuta ocupacional fará de modo que a pessoa possa retomar as suas atividades diárias da maneira mais satisfatória possível, apesar das limitações que poderiam persistir.

Groupe Action Douleur

Les prises en charge rééducatives s’accompagnent fréquemment de phénomènes douloureux. Une enquête réalisée auprès des patients au sein du Rehazenter laissait apparaitre une prévalence de l’ordre de 78 %.
Leur prévention reste donc une première étape fondamentale : des techniques de mobilisation, des mises en charge progressives, l’application de traitements locaux physiques en kinésithérapie, les techniques de balnéothérapie et une aide médicamenteuse permettent souvent d’en réduire l’intensité et de favoriser la poursuite du programme de rééducation.
En cas de besoin, il est également possible d’avoir recours à l’inhalation de gaz comprenant un mélange équimoléculaire d’oxygène et de protoxyde d’azote (MEOPA), aux vertus antalgiques, relaxantes et anxiolytiques : son intérêt réside dans sa facilité d’utilisation et dans son action rapide et limitée à la durée de l’inhalation.
Les techniques d’hypnose peuvent également être appliquées. Deux psychologues certifiés dans cette approche interviennent auprès des patients à la demande des médecins du Rehazenter.

La coordination de la prise en charge des douleurs reste assurée par le Médecin spécialiste en Médecine Physique et de Réadaptation.

Si la douleur aigue reste un événement relativement simple, la chronicisation des phénomènes douloureux devient nettement plus complexe à analyser. La douleur n’est plus alors une simple information sensorielle sur la condition du corps : elle contient beaucoup de caractéristiques émotionnelles et affectives, qui vont déterminer au moins en partie les réponses comportementales.
Sa prise en charge nécessite une approche différente, dite bio-psycho-sociale, qui tiendra compte des différentes composantes de la douleur. Pour mener à bien cette démarche, il faudra pouvoir s’appuyer sur une équipe pluri et interdisciplinaire, orientée vers un objectif cohérent et fixé dès le début de la prise en charge. Cette cohérence entre l’objectif du patient et ceux présentés par l’équipe reste une priorité et une condition indispensable à un succès thérapeutique.
Elle comprendra une évaluation initiale qui tentera d’appréhender au mieux les mécanismes douloureux et d’orienter le contenu de la prise en charge, éventuellement en privilégiant telle ou telle discipline. Toutes les professions sont susceptibles d’intervenir pour participer à la réalisation des objectifs : médecin, kinésithérapeute, psychologue, ergothérapeute, assistant social, thérapeute en Activités Physiques Adaptées, infirmière.
Un traitement individuel et/ou en groupe, une mise en commun des observations et résultats lors de synthèses pluri et interprofessionnelles et une redéfinition de nouveaux objectifs constitueront le cadre de ces prises en charge spécifiques. L’établissement du programme et sa coordination restent sous la responsabilité du médecin spécialiste en médecine physique et réadaptation : il pourra, en cas de besoins, faire appel à d’autres disciplines médicales, telles que la spécialité en anesthésie-réanimation.

Le Groupe Action Douleur (G.A.D) est constituée de représentants des différentes professions intervenant auprès des patients pris en charge au Rehazenter : médecin spécialiste en Médecine Physique et de Réadaptation, psychologue, kinésithérapeute, ergothérapeute, infirmière, assistante sociale, aide-soignant, maître Instructeur de Natation , etc.

Les missions du Groupe Action Douleur sont orientées à la fois vers les patients et vers les collaborateurs au sein du Rehazenter : ce groupe pluri et interdisciplinaire doit assurer la promotion des points suivants :

Encourager la culture de l’évaluation des phénomènes douloureux avant toute démarche thérapeutique.
1. Sensibiliser à l’importance de la prise en compte des facteurs psychologiques et environnementaux.
2. Encourager les patients à exprimer leurs douleurs.
3. Favoriser une approche pluri et interdisciplinaire.
4. Participer à la formation continue en matière d’algologie, etc.
5. Participer activement à la prise en charge de la douleur au sein de l’établissement.
6. Asseoir la position de Référent Douleur au sein de l’établissement.
7. Poursuivre le développement de la Consultation Douleur Chronique.
8. Favoriser les échanges inter hospitaliers en matière d’algologie.
9. Promouvoir la place du Rehazenter dans un réseau national d’algologie.

Toute prise en charge doit débuter par une consultation auprès du médecin référent : les dossiers sont ensuite discutés en staff pluri et interdisciplinaire, et une décision de prise en charge est proposée au patient.

Pour tout renseignement complémentaire, contactez le secrétariat aux numéros :
2698-4107/4108.